Monday, January 15, 2007

Portugal dos Pequenitos... de espírito...

Breve dissertação acerca do espasmo involuntário e verdadeiramente obsessivo que algumas pessoas têm quando decidem encher a relva do jardim com patinhos, sapinhos, bambis, ovelhinhas, e/ou outros protagonistas dos mais assustadores e vibrantes pesadelos das criancinhas, pessoas intelectualmente limitadas, pessoas meramente distraídas, licenciados que têm de trabalhar como monitores em ATL’s e ler contos infantis e outros que tais.
Ora ao correr de forma tresloucada pelas cidades e aldeias deste nosso solarengo Portugal, o que é que nos calha encontrar a cada passo que damos?
Exacto! Os jardinzitos tipicamente portugueses...
Tendo em conta que, para algumas pessoas, o tipo de decoração habitualmente encontrada é uma delícia para o olhar e um bálsamo para a alma, é perfeitamente natural encontrar alguns indivíduos que não partilhem a mesma opinião e que possam sofrer de coisas dolorosas à vista de semelhante mania.
E pensamos inocentemente: “De onde terá surgido tal ideia? Possessão demoníaca? Partida de mau gosto? Brincadeira parva, como a de Camarate? Pessoas sem nada para fazer da vidinha que gostam de moer o juízo aos outros?”
Mas este pensamento dura, geralmente, uns míseros centésimos de segundo. O pensamento que nos salta para a frente do cérebro logo a seguir prende-se com as várias coisas que, naquele momento, nos apetecia mesmo fazer àquelas coisitas parvas!
E foi assim que surgiram as...

Sugestões concebidas pela relativamente mordaz, dependendo da quantidade de cafeína nas veias nas segundas-feiras de manhã, autora deste blog:

1. Enterrar os malditos patos/sapos/ovelhas/bambis/vaquinhas/cavalos(??? - sim, é verdade!!) até ao pescoço, deixando de fora apenas o infame bico/focinho/cabeça/cara de parvo e o seu olhar atronhado.
2. Pesquisar na Internet e na secção de ocultismo da Fnac tudo o que tenha a ver com rituais satânicos e experimentar. Razoavelmente aceitável se estiver a passar a sua vizinha melga ao portão.
3. Pura e simplesmente queimar.
4. E ficar a ver, tentando esconder o seu olhar perversamente demoníaco, ou não, dependendo de quem for a passar.
5. Convidar a Floribella para se juntar à fogueira.
6. Encaixar lá o Noddy e chamar os Moonspell para cantar, a ver o que dá.
7. Mandar ao Bush uma fotografia e dizer que fica no Iraque.
8. Mandar outra ao Bin Laden e dizer que fica em Nova Iorque.
9. Sugerir ao Joaquim de Almeida que compre aquele espaço para fazer um estúdio e filmar a chegada do homem ao Sol.
10. Ficar em casa a ler um livro e não querer saber desses gajos!E pronto!!

5 comments:

Fartpudding said...

OK a partir deste momento eu fiquei com medo de ti! :)

maf said...

Bem!!!
Se quiseres mais uma para ajudar à festa, chama-me...
Ha, ha, ha... (risinhos de bruxita quase bruxa).
Mas vê-lá se te acalmas minha, que a gente sempre pode ir por aí e partir os patitos todos e sem ninguém dar conta...
Nada que uma boa sangria não resolva!!
Tás a precisas de um bom bocado com as babes...

Bxana said...

Marta, esqueceste-te dos duendes/anões...

Quem já não teve o prazer de passar por um jardim e ver o Feliz ou o Envergonhado a olhar para nós, no seu barretinho azul e nariz de Zé Povinho?

E agora reparo - porque não espalhar Zés Povinhos pelo jardim??? Bambis está muito visto...=)

Maria Ostra said...

HIHIHI! :D Encantador!

-pirata-vermelho- said...

E ponto! Final. Que quem fal'assim...