Friday, July 06, 2007

As pessoas que moram na minha cabeça. Capítulo primeiro.

É a mais terrível verdade… para quem tem de me aturar todos os dias, é claro!

A Constança.

A primeira inquilina e a que mais dá que falar no prédio todo.
Mora no sótão, por sinal o lugar mais fixe e soalheiro, com uma enorme janela redonda e um agradável terraço, onde a Constança gosta de descansar na sua confortável rede, com um livro (são a sua perdição…) e uma chávena de chá.
A Constança é, por assim dizer, o ácido sob forma humana. Leva a irascibilidade ao auge.
Vê as coisas de forma assustadoramente distorcida e ri com desdém daquilo que, regra geral, aterra o mais comum dos mortais.
Gosta de calças de ganga esfarrapadas em baixo, e veste t-shirts básicas, preferencialmente pretas ou com mensagens de cariz rebelde ou provocatório. Prefere as sapatilhas mais rotas do armário e estende mentalmente o dedo a quem se atrever a pensar um comentário.
Tem saídas que podem, em certos casos, desfazer em cinzas o autor da frase anterior. Um simples olhar ou a sua inequívoca expressão de "Incrível Hulk" podem conseguir o mesmo efeito.
Não tem controlo na sua própria língua viperina, e treina todos os dias para manter ou quiçá superar essa marca audaz.
A Constança está muitas vezes escondida, à espreita, e aparece facilmente depois de um café bem tirado, ou de uma meia de leite de máquina com espuminha.
Segue minuciosamente todas as regras de trânsito, somente pelo prazer supremo de ver os outros condutores a passarem-se dos nervos.
Defende sempre os fracos e os oprimidos, especialmente se for uma luta em que entra a perder e quando os outros lhe dizem que não vai conseguir ir a lado nenhum. Afinal, era tecnicamente impossível o Atlético ganhar ao Porto e vejam o que de facto aconteceu…
Tem dias em que ouve Within Temptation, Moonspell, Him, Bizarra Locomotiva, Rammstein, The Rhasmus, outros de Barry Adamson, Mão Morta, David Fonseca, Nick Cave, Mundo Cão.
É daquelas pessoas que mete os álbuns antigos dos Xutos quando vai no carro, e levanta o volume para acompanhar a "Vida Malvada", sem se importar que os outros corem de vergonha quando ela grita alto e bom som "dormir no carro todo nu em pêlo!".
Gosta de gatos, obviamente. Tem preferência por gatos pretos, ou aqueles rafeirolas pulguentos.
Tem um gato preto assanhado tatuado na nádega esquerda e faz colecção de coisas com gatos, e de mugs, obrigando até a Sininho e o Edu a trazerem uma british mug verdadeira quando foram a Cambridge o mês passado.
A sua perdição, é claro, são mugs com gatos, e é uma desgraça cada vez que vai à Galinha Gorda…

2 comments:

Alf said...

Desisti de morar em prédios, mas acho graça às descrições da vizinhança.

Marta said...

Ui... e então esta vizinhança...