Tuesday, April 24, 2007

Cravos com cheiro a fritos, açúcar, canela e bolo-rei acabado de sair do forno


Se há coisas que me arrepiam os pelinhos dos braços e fazer achar o Freddie Kruger um gajo assim fixe para ir aos copos, uma delas é, sem dúvida, o 25 de Abril.


Tipo aquela dedicação toda ao "significado da causa" que, em certos casos, se torna até algo assustadora!


Não que não seja de louvar, é claro - é sempre agradável haver gente com ideais altruístas.


Mas o facto de ver pessoas mais dedicadas a coisas materiais do que ao verdadeiro "significado da causa# em épocas como, por exemplo, o Natal, é que me deixa preocupada.


(Mas o humor negro é excluído dessas preocupações, é óbvio...)


5 comments:

Eduardo said...

Inda gostava de saber onde é que consegues achar estes desenhos marados!! Ganda maluca. VIVÓ 25 de Abril! Ontem o Jorgix e a Maf acordaram ás 2.30h da manhã com umas miudas com musica aos altos berros na rua, a dizerem que era o dia da liberdade. Aí ela ameaçou que chamava a policia se não se calassem... elas não se calaram.. e ela chamou a POLICIA! Vai buscar!

Marta said...

Os pensionistas aí da rua eram cheios de genica, hem!!!

Bxana said...

Para mim, 25 de Abril = hipocrisia extrema.

Que andem para ai os engravatadinhos pseudo-governantes de cravo na lapela por um dia, e nos outros 364 a serem uns brutais cínicos ed a lixarem os portugueses.

Mas nem tudo está perdido... acho eu... :)

Miaus!

maf said...

Então eu explico...
Vai daí... Eram umas 2.30h da matina quando fomos acordados por um carro carregadinho de fulanas que resolveram tocar música em altos berros do lado do nosso quarto e ao qual eu acordei assim como quem não quer mas tem de ser!
Bom, então eu quase a dormir levantei as persianas e verifiquei que umas das fulanas estava a dançar à chuva (sim! Chovia a potes!), estilo índios em caso de desespero...
E eu mando um assobio daqueles porque senão elas não me ouviam de certeza... Elas baixaram a música e eu disse: "Iou People! Há aqui gente que trabalha e que precisa de descansar..." Uma delas disse: "Hoje é noite da Liberdade! Liberdade p´ra ti!" E eu disse: "Liberdade também para vocês, mas se continuarem a fazer barulho, vou ter de chamar a polícia!"
Elas deram meia volta com o carro e foram para o outro lado do Largo e continuaram a fazer barulho... E eu chamei a polícia! Prontos!
A nossa liberdade acaba quando a liberdade dos outros acaba e vice-versa, por isso eu aviso... Mesmo sendo noite ou dia da liberdade o ideal é não extrapolar a liberdade de ninguém e acima de tudo ter muito respeito por tudo, é a maior lei e fórmula para a boa convivência dos seres humanos e muita das vezes esquecida pela maioria...

Marta said...

Pois... acho que nessa coisa toda da Liberdade se esqueceram foi dos outros adjectivos aliados ao termo - tipo civismo, responsabilidade, respeito, consciência...