Wednesday, August 02, 2006

A Mosca III

Mais um texto Antena 3 - era para fazer um argumento para a Mosca. Fiz dois. Ainda não sabia que era só uma participação por pessoa... O Luis achou o segundo muito... coiso... acho que não estava à espera. Ele acha que eu só escrevo coisas parvas. Ficou parvo na mesma, mas tem uma certa lógica... visto de um certo plano... e nem toda a gente consegue ver... mesmo eu, à vezes...


A MOSCA III

A Antena 3 tem o prazer de apresentar:

“A MOSCA III”, ou

“Marques, o homem que levou demasiado a sério o papel que interpretou e que se transformou, ele próprio, num moscardo irritante!”

Esta é a história de Nuno Marques, homem dos sete ofícios, com uma tenebrosa obsessão pelas Doce, que num biscate para a série “Max”, ficou muito entusiasmado com a personagem que tinha de interpretar... demasiado entusiasmado...

Muito depois do horário de expediente, Marques dava consigo a besourar pela casa, atento a qualquer porcaria, com a sua poderosa e excitante visão alterada de insecto.
Outro efeito secundário preocupante era a tendência para só falar através de expressões enigmáticas do tipo “É bom estar com a mosca”, ou “Acertei na mosca!”, ou “Em boca fechada não entra mosca”, ou ainda “As moscas ladram e a caravana passa”.
“Irra que isto não para! Já me está a enervar!”, dizia já o Marques.

O caso complicou-se seriamente quando, numa singela ida ao supermercado, Marques morde um inocente na perna, depois de uma aguerrida luta por uma luz para a sanita com oferta de piaçaba laranja, que condizia lindamente com as cortinas de patos do wc de Marques, inocente esse que mais tarde se transformou no BrundleFly e que deu origem ao filme “A Mosca”, de 1986.
("A Mosca III” é um flashback – aquela história de o gajo se ter enfiado na máquina com uma mosca, afinal, não era verdade – esta é que é a história verdadeira!!)

A transformação começa a alterar a personalidade já equivocada de Marques, e os seus amigos só dão efectivamente por ela quando Marques começa a voar em volta deles com meias pretas de mousse da Dim, a capa de cobrir o carro agarrada com elásticos aos braços, e os bigodes completamente destrambelhados, a fazer sons pouco normais e com a visão ligeiramente psicótica.

Uma história verdadeiramente assustadora, do mais puro terror e suspense, e cheia de acção e explosões (patrocinada pela Loja do Benfica, que gentilmente cedeu os verylights), onde até o próprio presidente do Estados Unidos, George W. Bush, faz uma perninha, como pinguim de estimação de Marques.

Com a participação especial de Fernando Alvim, como o homem da caçadeira, Dirty Harry, como a menina do serviço de apoio ao cliente do supermercado, e de Búbu, como o ajudante de Marques com perturbações mentais muito graves, que corre o risco de se transformar também, ele próprio, numa varejeira gorda e suculenta.

Um filme excitante, com banda sonora de Marilyn Manson e dos Orixás, a não perder no cinema mais próximo (se for escolhido como argumento, é claro...).

(Desculpa lá, ó Markl... e Bubú... O Alvim não se deve importar... Capaz disso era ele...)

Este é o segundo texto:


A Mosca III


Pensando no futuro da Ciência e na utilidade da sua descoberta para fins maiores, Seth Brundle havia guardado várias amostras do seu ADN, nas diversas fases de transformação por que passou, que foi mantendo num bunker congelador, nas catacumbas do seu próprio laboratório.
Deixa apenas num Diário de trabalho uma pequena pista acerca da localização exacta do bunker secreto, e uma vaga ideia do seu conteúdo...

______________

Fevereiro de 2006
O entusiasmado estudante de genética da Bartok Inc, Phillip Brown (interpretado por Christian Bale, que tem muito jeitinho para retorcer os olhos de uma forma... muito pouco natural...), depois de destruir pela 3º vez grande parte do laboratório central, é destacado para a secção de arquivo, com a função de arrumar ficheiros, dossiers e registos escritos de há 20 anos atrás, empilhados em caixotes também com 20 anos de pó em cima.
Não sendo este um trabalho para desanimar o sempre activo e energético Phillip, este cedo descobre algo que lhe capta mais que o interesse... capta-lhe a vontade de descobrir e de experimentar... um Diário pormenorizado do cientista Seth Brundle...

Numa arriscada e emocionante vertigem, Phillip consegue ter acesso ao laboratório secreto de Brundle, depois de decifrar o seu Diário, acedendo assim a todo o material vivo da Mosca.
Na ânsia de descoberta que o caracteriza, e que o fez identificar-se logo com Seth Brundle, Phillip decide experimentar em si próprio o ADN do cientista na sua fase final... com determinadas alterações genéticas introduzidas por si próprio...

O resultado surge numa transformação de um homem em algo mais que um insecto gigante – Phillip transforma-se num poderoso insecto de proporções avantajadas com domínio do pensamento e da inteligência, ...mas sem qualquer domínio da ética e do bem... ( é nesta altura que o Sr. Christian Bale começa a fazer aquele olhar anormalmente esgazeado, para o qual tem tanta vocação...).

A poderosa Mosca Phillip Brown dá início a uma onda de terror e extermínio, que tem início nas instalações da Bartok Inc., onde Phillip procura vingança, arrastando-se a grande parte da cidade, e culminando com a destruição de PhillipFly, com ele se chamara a si próprio, vítima da sua própria ambição, que o levava a injectar-se com cada vez mais frequência com doses cada vez mais violentas de misturas genéticas, até provocar o colapso.

No entanto, tal como Seth Brundle, Phillip registou todas as alterações que sofreu, e as experiências que executou no seu próprio corpo...


(Para quem não acredita, este é o Chistian Bale, o giraço que fez o Batman Begins. De reparar que também a falar ele tem alguns problemas...).

1 comment:

Eduardo Rafael said...

Sinceramente acho que se te propusesses às manhãs da Antena 3 para lhes escreveres textos ou para colaborares com eles, acho que tinhas grandes hipóteses, pois o que tu escreves é 10 vezes mais marado do que o que eles escrevem! Isto é que é um elogio, hein?