Tuesday, August 29, 2006

Kiki – o canídeo de Marte


Já muito se discutiu acerca da problemática da existência de seres extraterrestres, de manifestações da sua presença, ou até de actos engendrados por eles, sem nunca, porém, se ter chegado a uma conclusão a que se pudesse chamar de definitiva, ou que disso sequer se aproximasse.
Ora a autora deste blog é uma criatura relativamente bem informada, e que até frequenta festas – nomeadamente aquelas em que abunda a sangria fresquinha em jarros muito catitas, e a entremeada na brasa – e pode assim assegurar ao perspicaz leitor deste blog que tais seres existem, possuindo, como é óbvio, provas materiais dessa afirmação, como o são estas bem captadas fotografias, em que tão maravilhoso animal dá um arzinho da sua graça.

A Kiki aprecia também deveras a especialidade terrestre denominada “biscoito”, principalmente se lhe vier parar aos beiços atascada de doce.
Foi proibida de se alambazar com eles à vontade pelo Sr Veterinário, porque já estava a ficar com um nível de Diabretes muito acima da escala do aceitável... e ressona como um bisonte na selva...
Desconfia-se que tenha apanhado esta mania da lambarice com o Sr Eduardo, mas tal teoria nunca foi provada em termos concretos, até porque o próprio, quando interrogado, nega ter desvios para esses lados...

Aqui, o seu olhar hipnótico, de quem anda a levar com o sol nos olhos...

4 comments:

sininho said...

olha que bem que ficou o fantastico ser alienígena KIKI, denominado pela famosa e não menos maravilhosa autora deste estupendo blog!

sininho said...

Vê-se mesmo que está a ser alimentada la em casa, coitadinha ... ai ai ... eu bem me parecia que na despensa me faltavam umas compotas...

Eduardo Rafael said...

Reparem bem no porte esbelto deste espécimen único da raça canina alienígena! Os bigodes curtos, desgastados pelo roçar nas incontáveis rochas de Marte. Os olhos semi-cerrados perfeitamente adaptados ao sol abrasador deste planeta enigmático. O próprio focinho preto, queimado pelas temperaturas altíssimas que se fazem sentir na superfície do planeta. Ainda assim este espécimen, denominado "cadela-funil" mostra-se completamente integrado no clima do nosso planeta terra. O único senão é que este ser vai largando aqui e ali uns montículos escuros e mal-cheirosos, resultado do aperfeiçoamento incrível do seu sistema digestivo altamente desenvolvido.

Netwalker said...

hmm! que especimen raro: Um Canideos Abajourus.